Pular para o conteúdo principal

Postagens

8 grandes santos que tiveram depressão, mas nunca se renderam a ela

Você pode se surpreender com vários dos nomes nesta lista!
Até mesmo santos da estatura moral da Madre Teresa de Calcutá, admirada por crentes e descrentes, dão testemunho de ter sofrido algo que soa surpreendente e talvez chocante para quem acha que os santos viveram numa bolha de perfeição à parte das cotidianidades que afetam os seres humanos “comuns”: o conceito da “noite escura da alma“. A mais famosa abordagem do tema e do termo é, provavelmente, a do místico espanhol São João da Cruz, reconhecido como nada menos que Doutor da Igreja. Ele descreve essa profunda espécie de crise espiritual na jornada rumo à união com Deus em seu célebre poema intitulado, precisamente, “La noche oscura del alma” (século XVI). É fato que Deus permite, e com frequência, a drástica provação da aridez espiritual, da completa falta de fervor sensível, da dúvida espessa a respeito da Sua existência, da revolta perante os injustíssimos reveses da vida, do desespero diante da tragédia ou mesmo da rotina q…
Postagens recentes

Papa: o profeta é sempre um homem de esperança

"Um verdadeiro profeta é aquele que é capaz de chorar por seu povo e também de dizer as coisas fortes quando for necessário. Não é morno, é sempre assim, direto”, disse o Papa Francisco, na homilia da Missa celebrada na manhã desta terça-feira, na Capela da Casa Santa Marta Cidade do Vaticano “Insensíveis e incircuncisos de coração e ouvido! Vós sempre resististes ao Espírito Santo e como vossos pais agiram, assim fazeis vós!” Estêvão, o primeiro mártir da Igreja, assim acusava o povo, os anciãos e os escribas que o haviam levado ao tribunal. Tinham o coração fechado, não queriam ouvi-lo e não recordavam mais a história de Israel. O Papa Francisco repassa estes acontecimentos narrados no Livro dos Atos dos Apóstolos, na leitura proposta pela liturgia do dia. E como os profetas foram perseguidos por seus pais, assim estes anciãos e escribas “enfurecidos em seus corações, rangem os dentes contra Estêvão e arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo”. E o Papa comenta…

17 ABR Santo Aniceto, combateu o racionalismo

Seu Papado durou 11 anos. Isso no século II. Deparou-se com a heresia do Gnosticismo, o racionalismo cristão, uma supervalorização do conhecimento, onde bastava isso para a Salvação. Com isso, os méritos de Cristo, os sacramentos e a graça do Senhor ficavam de lado. Contou muito com a ajuda do filósofo cristão São Justino e do bispo Policarpo. Auxiliado por esses doutores e, com a graça de Deus, combateram esse racionalismo. A fé e a razão são duas asas que nos levam para a Salvação, Jesus Cristo. Ele que é Caminho, Verdade e Vida. E a vida do santo de hoje demonstrou que aí está a fonte da felicidade. Santo Aniceto, rogai por nós! Fonte: Canção Nova

Todos temos a autoridade de realizar obras de misericórdia

A misericórdia é para todos
Nosso Senhor, no Evangelho de Mateus, capítulo 25, ensina-nos sobre as obras de misericórdia. Tal passagem é famosa, profunda e desafiante. Hoje, são milhares de milhares de pessoas que passam fome, têm sede, não tem onde morar, necessitam de um conselho, um perdão e uma prece por elas. É muito fácil cobrar ou apenas dizer que as autoridades políticas devem erradicar a sede e a fome do mundo, que as pessoas que possuem problemas devem procurar religiosos ou psicólogos, que parem de frescura.
Na verdade, Jesus, quando se pronunciou sobre as obras de misericórdia, não falou apenas às autoridades políticas, aos sábios ou aos doze discípulos, não falou apenas aos ricos. Cristo ensinou a todos sobre a prática do bem e deu também autoridade aos seus de fazerem obras grandiosas (Jo 14,12). Jesus nos deu uma autoridade, por isso o convite é de colocarmos a mão na consciência, pensarmos “o que eu posso fazer?”. “Mas eu sou pobre, como posso ajudar alguém?” Jesus ori…

São Benedito José Labre, enriqueceu a Igreja com sua pobreza

São Benedito José Labre, oferecia tudo pela conversão dos pecadores
O santo de hoje enriqueceu a Igreja com sua pobreza. Nasceu na França, em 1748. Despertado muito cedo pela graça divina a uma entrega total, Benedito quis ser monge. Bateu em vários mosteiros, mas devido sua frágil saúde, não foi aceito. Os ‘nãos’ recebidos o fizeram descobrir um modo específico de viver a vocação à santidade. Tornou-se então um peregrino, um mendigo de Deus. Foi muito humilhado, mas foi peregrinando pelos santuários da Europa, oferecendo tudo pela conversão dos pecadores. Benedito viveu da Divina Providência. Com 35 anos, consumido pela vida de oração e meditação, entrou na glória de Deus. São Benedito José Labre, rogai por nós! Canção Nova

Regina Coeli: ofender o corpo é ofender a Deus

O Papa Francisco comentou o Evangelho do III domingo de Páscoa, em que os Apóstolos ficam perturbados com a presença real de Cristo ressuscitado. Cidade do Vaticano  A sacralidade do corpo e da alma foi o tema da alocução do Papa Francisco ao rezar com os fiéis na Praça S. Pedro a oração mariana do Regina Coeli. No Evangelho do terceiro domingo de Páscoa, está a experiência do Ressuscitado feita pelos seus discípulos. “O episódio narrado pelo evangelista Lucas insiste muito no realismo da Ressurreição. De fato, não de trata de uma aparição da alma de Jesus, mas da sua real presença com o corpo ressuscitado”, disse o Pontífice.
Os Apóstolos ficam perturbados com a presença de Jesus, a ponto de pensarem tratar-se de um fantasma. Cristo decidiu comer o peixe assado para convencê-los de que é Ele. Para Francisco, a insistência de Jesus sobre a realidade da sua Ressurreição ilumina a perspectiva cristã sobre o corpo, que não é um obstáculo ou uma prisão da alma. Ideia positiva do corpo “O c…

Papa Francisco: o Batismo "cristifica" o fiel

Catequese realizada dia 11/04/18


“As promessas batismais devem ser reavivadas todos os dias para que o Batismo 'cristifique' quem o recebeu, tornando-o realmente outro Cristo”, disse Francisco em sua catequese. Cidade do Vaticano  Na audiência geral desta quarta-feira (11/04), o Papa Francisco iniciou um novo ciclo de catequeses, ao concluir semana passada as reflexões sobre a Santa Missa. O novo tema escolhido pelo Santo Padre é o Batismo, o fundamento da vida cristã. Trata-se do primeiro dos Sacramentos, enquanto é a porta que permite a Cristo Senhor fixar morada na nossa pessoa e, a nós, de nos imergir no seu Mistério.

O verbo grego “batizar” significa “imergir” (cfr CCC, 1214). Banhar-se com água é um rito comum a várias crenças para expressar a passagem de uma condição a outra, sinal de purificação para um novo início. “Mas para nós cristãos não deve passar desapercebido que se é o corpo a ser imergido na água, é a alma a ser imersa em Cristo para receber o perdão do pecad…